No blog http://tinformando-meus-blogues.blogspot.com.br/ encontrará o meu espaço web

sexta-feira, 25 de abril de 2014

As greves e o Ensino Fundamental e o Médio - uma luta prioritária no Brasil

As greves e o Ensino Fundamental e o Médio
O Brasil tem centenas de milhares de heróis [ (1),  (2)] reais, silenciosos, humildes, gente valente, trabalhadora. Não dão IBOPE e as novelas e programas de luxo, feitos para a burguesia, esquecem essa gente que cuida dos filhos e filhas de domésticas e de operários, além de patricinhas e de mauricinhos, no caso extremo da pirâmide social. Centenas de milhares de brasileiros e de brasileiras saem de casa de madrugada e retornam a seus lares tarde, ainda com tarefas para o dia seguinte. Essa gente sofre humilhações, agressões, arrisca-se muito quando trabalha em locais perigosos, e são muitos os espaços agora dominados por quadrilhas de traficantes, principalmente, que usam as crianças e adolescentes como escudos e vendedores no varejo da morte. Os grandes traficantes vivem em bairros de luxo, onde moram parece não ser um segredo insolúvel, mas sabem se proteger...
Os mestres de escolas do Ensino Fundamental e Médio nunca foram tratados e recompensados pelos seus esforços no Brasil, ao contrário, eram a primeira opção de corte orçamentário; os governantes, maldosamente, entendiam que esses trabalhadores deveriam ser santos e santas, dispondo de sua força e inteligência para o bem da Humanidade enquanto eles punham e dispunham do dinheiro do contribuinte.
Nada mais justo, apesar do pesadelo para outros trabalhadores e trabalhadoras, que apelem para greves e campanhas salariais agressivas, fazer o quê? Promessas a alguns santos milagreiros?
Nosso país gera montanhas de dólares que se perdem na agiotagem e proteção a multinacionais e empresas brasileiras viciadas em privilégios; o dinheiro do contribuinte tem um destino garantido pelo Acordo de Basileia (1) e gente sem amor ao próximo que manda entre nós decide draconianamente o que é inflação e como devemos controlá-la. O essencial é garantir divisas[1] para o pagamento de empréstimos de multinacionais, acima de tudo, assim como cobrir rombos de empréstimos temerários via bancos oficiais (2).
Corporações poderosas exaurem orçamentos sempre insuficientes, o que explica facilmente a precariedade até dos presídios, última opção de uso do dinheiro na área da Justiça, área em que a mercantilização do Direito estimula processos intermináveis. Na Medicina o truque foi a superespecialização, criando-se cargos e funções distantes das doenças comuns entre nós, mas que carecem de assinaturas de médicos até para compra de remédios que enfermeiros e farmacêuticos saberiam indicar. Aliás, a Saúde no Brasil está mais e mais se transformando em mina de ouro até para multinacionais de planos de saúde e serviços afins.
Nossos heróis, e nós do Lions Clube de Curitiba Batel (5) podemos afirmar isso, pois atuamos [ (3), (4), (5), (6), (7)] na Região Metropolitana de Curitiba em algumas escolas estaduais e municipais, é acima de tudo o corpo docente de creches e escolas do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. Falando da Região Metropolitana de Curitiba, não podemos esquecer, por exemplo, que no meio dessa região existe o complexo penitenciário de Piraquara, submetendo familiares de presidiários, muitos deles lá colocados com rigor extremo, algo inexistente nas classes mais altas, a “tarefas” de sustentação do crime organizado.
O Senador Cristóvão Buarque deve estar afônico de tanto propor e defender os professores e a Educação em nosso país (8). Parece que luta no deserto. Sua proposta pode ter variações que se enquadrem melhor ao nosso povo. Afinal, não criamos o Bolsa Família (9) que de uma certa forma estimula os casais a terem mais filhos? O sucesso desse padrão de distribuição de renda justifica um “Bolsa Professor(a)” que poderia ser complementado pelos demais níveis de gerenciamento do Brasil.
O orçamento dos estados e municípios está exaurido em projetos para viabilização de mais e mais automóveis, metrôs, subsídios, luxos e futebol. É fato consumado, isso sem falar no desperdício pela má gestão e a corrupção.
Assim o que podemos e devemos fazer, quando o Governo Federal está em fase de elaboração de seu orçamento para 2015, o ano é eleitoral, é a colocação enérgica de propostas a favor das crianças e adolescentes, o que certamente exige a moralização da situação dos professores e professoras, pois o que existe no Brasil é absolutamente imoral.  Dependendo da escola, privada ou pública, do local, da cidade e estado, teremos diferenças absurdas e lesivas tanto ao corpo docente quanto discente. Um Brasil fraterno, livre, igualitário ainda que em oportunidades depende da solução da situação de suas escolas para crianças e adolescentes. Se queremos mais tarde bons profissionais, devemos formar uma base sólida, sadia e eficaz.
Estudos demonstram a precariedade alarmante da Educação e do Ensino no Brasil [ (12), (13), (14)] conhecem?
Ainda estamos na pré-história, num país que nem creches é capaz de construir e manter... Mas temos arenas de Primeiro Mundo.
Com certeza, ajustando algumas prioridades que nos enfiaram goela abaixo, vai sobrar dinheiro para a Educação, principalmente no nível federal, onde os governantes se dão ao luxo de projetos mirabolantes e acordos inadequados à situação do Brasil. Nada impede que tenhamos um “Bolsa Professor(a)” complementando salários aviltados por uma política fiscal injusta e a má gestão crônica de nossas cidades e estados.
A dúvida maior é se os legisladores e gerentes políticos (e seus patrocinadores) desejam a evolução do povo brasileiro. A ignorância é o adubo dos poderes que exercem.
Cascaes
25.4.2014
1. Rebouças, Fernando. Violência contra Professor e Aluno. InfoEscola. [Online] http://www.infoescola.com/sociedade/violencia-contra-professor-e-aluno/.
2. Chagas, Angela. Quando a tarefa de ensinar vira caso de polícia. Terra Educação. [Online] http://noticias.terra.com.br/educacao/infograficos/violencia-contra-professores/.
3. O Acordo da Basileia. Banco Central do Brasil. [Online] http://www.bcb.gov.br/?BASILEIA.
4. Benayon, Adriano. Finanças e (sub)desenvolvimento. Engenharia - Economia - Educação e Brasil . [Online] 15 de 4 de 2014. http://economia-engenharia-e-brasil.blogspot.com.br/2014/04/financas-e-subdesenvolvimento.html.
5. Melo, Carlos Eugênio de. Lions Clube Curitiba Batel. Distritos Múltiplos "L" - Brasil. [Online] http://www.lions.org.br/lionsbatel/.
6. Cascaes, João Carlos. PROJETO LIBERDADE EM AÇÃO – VILA LIBERDADE, ANA MARIA E NOVA ESPERANÇA. PROJETO LIBERDADE EM AÇÃO – VILA LIBERDADE, ANA MARIA E NOVA ESPERANÇA. [Online] http://projetoliberdadeemcolombo.blogspot.com.br/.
7. —. Projeto Colombo. [Online] http://projeto-colombo.blogspot.com.br/.
8. —. Projeto Sol Nascente. [Online] http://projetosolnascentevilaaudi.blogspot.com.br/.
9. —. Projeto Zumbi - Mauá. [Online] http://zumbimaua.blogspot.com.br/.
10. —. Escola de Música Lions - LCC Batel. [Online] http://escolademusicalccbatel.blogspot.com.br/.
11. Escolas federais são a solução para a educação no Brasil. uol notícias Opinião. [Online] 2014 de 3 de 2014. http://noticias.uol.com.br/opiniao/coluna/2014/03/18/escolas-federais-sao-solucao-para-a-educacao-no-brasil.htm.
12. Wikipédia. Bolsa Família. Wikipédia. [Online] http://pt.wikipedia.org/wiki/Bolsa_Fam%C3%ADlia.
13. Gestão e Financiamento do Ensino Público no Brasil . Mirante da Educação . [Online] 2014. http://mirante-da-educacao.blogspot.com.br/2014/03/gestao-e-financiamento-do-ensino.html.
14. A qualidade do ensino no Brasil . Mirante da Educação. [Online] 2014. http://mirante-da-educacao.blogspot.com.br/2014/03/a-qualidade-do-ensino-no-brasil.html.
15. Um estudo interessante que merece análise de todos . Mirante da Educação. [Online] Anuário Brasileiro da Educação Básica 2013 . http://mirante-da-educacao.blogspot.com.br/2014/03/um-estudo-interessante-que-merece.html.





[1] A oligarquia financeira mundial saqueia o Brasil, inclusive através da dívida pública, inflada pela capitalização de juros absurdos, mesmo gerando,  com só eles, gastos inúteis da ordem de R$ 350 bilhões anuais.
...O governo instalado pelo golpe de 1954 doou o mercado às empresas transnacionais (ETNs), e lhes deu subsídios inimagináveis:  a) permitir às ETNs importar bens de capital usados, de há muito amortizados com as vendas dos seus produtos no exterior; b) atribuir a essas importações valores significativos; c) permitir seu registro como investimento estrangeiro; d) converter  essas quantias em moeda nacional, à taxa livre de câmbio (cuja cotação equivalia ao dobro da taxa preferencial; e) converter os enormes ganhos à taxa preferencial, nas remessas às matrizes.
... Outro desastre flui do art. 164, que nega ao Tesouro competência para emitir moeda e a atribui ao Banco Central, e este só pode financiar  bancos, que se locupletam com as brutais taxas de juros  dos títulos do Tesouro.

Nenhum comentário: